Navio arrisca manobra para evitar grave acidente no Porto de Santos

Navio arrisca manobra para evitar grave acidente no Porto de Santos

Batelão lameiro, utilizado para a dragagem do canal do porto, foi flagrado sendo rebocado em frente a navio mercante.

A Capitania dos Portos de São Paulo (CPSP) investiga uma manobra realizada por uma embarcação no Porto de Santos, no litoral de São Paulo. Imagens obtidas pelo G1 nesta sexta-feira (12) mostram a embarcação, utilizada na dragagem do canal do porto, sendo rebocada em frente a um navio mercante.

Segundo apurado pela reportagem, a CPSP recebeu a denúncia da manobra e uma equipe foi encaminhada até o local da travessia. Nas imagens, é possível ver a embarcação, identificada como um batelão lameiro, sendo rebocada pelo canal. De acordo com as autoridades portuárias, o caso segue sendo apurado pela CPSP.

O batelão lameiro é utilizado para o transporte de resíduos como lama, pedras e areia durante o trabalho de dragagem do canal do porto.

Questionada pelo G1, a Santos Port Authority, autoridade portuária do cais santista, esclarece que tomou conhecimento do caso e, de imediato, questionou a empresa responsável pela embarcação e encaminhou a denúncia para apuração da Capitania dos Portos. A SPA aponta, ainda, que assim a CPSP concluir os procedimentos que o caso requer, a autoridade portuária adotará as providências que lhe cabem.

Em nota, a DTA Engenharia, empresa responsável pela operação, afirma que a manobra em questão é regular e faz parte do procedimento de rotina da dragagem dos berços de atracação do Porto de Santos durante a ininterrupta operação do Complexo Portuário santista. Trata-se, apenas, da navegação de um conjunto batelão-rebocador entre as áreas de dragagem e de despejo, o que ocorre cerca de 2 a 3 vezes por dia.

A empresa aponta, também, que o ângulo da filmagem da manobra aparenta um risco à navegação que não reflete a realidade. Não houve qualquer incidente e toda a operação obedeceu às normas vigentes, admitindo-se que o navio estava dentro do limite de velocidade para aquela área do canal de navegação do Porto de Santos.

A empresa ressalta, também, que independentemente do cruzamento entre as embarcações no canal de navegação do Porto de Santos ser regular e ter sido devidamente informado, a operação de dragagem já foi orientada a evitar esse tipo de manobra para que não haja mais repercussões questionáveis como essa.

Related Posts

Fazer um comentário
Comentário
Nome
E-mail